terça-feira, 30 de março de 2010

Encosto

Isso é que é um marido atencioso!


E como diria Bruno, só o Pai...
*

terça-feira, 23 de março de 2010

Se eu fosse romântico...


Se eu fosse um cara romântico, eu te diria essas coisas...

Eu amo nossos momentos tranqüilos
apenas nós dois
compartilhando um jantar
lendo um jornal
assistindo TV
quando podemos expressar nosso amor
sem dizer uma palavra

Eu amo nossos momentos especiais
quando estamos juntos
com a família e os amigos
desfrutando umas férias
um aniversário
ou nada em particular
os momentos quando ambos podemos
desfrutar a felicidade da vida
àqueles a quem amamos.

Momentos tranqüilos
ou momentos especiais
eu amo todos
os nossos momentos juntos
porque eu
amo você.
*

sexta-feira, 19 de março de 2010

Camisinha


Há uns dias atrás recebi um email com um vídeo que, em minha opinião, é a melhor publicidade em prol do uso da camisinha que já vi. É ao mesmo tempo instrutivo e divertido, prescindindo até certo ponto, de pudor.
Porém, hoje eu li um artigo onde dizia que a propaganda de prevenção à AIDS gira basicamente em torno do tema “use camisinha”, já que as outras formas de contato capazes de gerar contágio já não representam um número elevado nas estatísticas de transmissão do vírus. Então, a primeira coisa que nos vem à cabeça quando vemos uma propaganda “use camisinha” é: "Tudo bem. Se eu usar camisinha eu não vou pegar AIDS". Essa é a mensagem emitida pela mídia, sobretudo pela TV em programas direcionados aos jovens (MTV, Malhação, etc.).
Ou seja, transe com quem e quando quiser, mas use sempre camisinha.
Observa-se aí que a mensagem que se passa, sobretudo ao jovem, é que transem a torto e a direito com quem quer que seja, somente lembrando-se da camisinha. Claro que se alguém levar uma vida sexual promíscua assim, é mais do que imprescindível o uso do preservativo, senão nos tempos de hoje seria até uma forma de suicídio indireto. Porém, apesar da presença da camisinha nessa situação, não é exatamente isso que uma pessoa com um mínimo de senso crítico entenderia esse tipo de vida sexual como prática de sexo seguro.
O sexo seguro ou responsável não implica somente o sexo com camisinha. O sexo seguro ou responsável é aquele onde duas pessoas que se conhecem com o mínimo de intimidade, que já possuem pelo menos alguma ligação e que têm o mínimo de maturidade, mantém relações sem prescindir do uso da camisinha. Esse que deveria ser o direcionamento.
Não se trata de um discurso moralista, e sim, de um apelo à noção de conservação e de qualidade de vida.
Contudo, ainda é importante a veiculação de propagandas em prol do uso da camisinha, porque se não se pode ainda alcançar o ideal, que pelo menos se tente ao máximo salvar vidas. Vejamos o então o divertido vídeo citado no início do texto.

video
*

terça-feira, 9 de março de 2010

Lá vem os negão!

Olha só o que esses afro-descendentes que aparecem no vídeo fizeram! Que coisa!!

video
*

segunda-feira, 8 de março de 2010

Família moderna...

A autoria do texto a seguir foi atribuída a Luis Fernando Veríssimo, porém não tenho certeza se é dele mesmo. Mas, seja lá quem tenha escrito isso, foi genial! hehehe!
.......

- Mãe, vou casar!
- Jura, meu filho?! Estou tão feliz! Quem é a moça?
- Não é moça. Vou casar com um moço. O nome dele é Murilo.
- Você falou Murilo... Ou foi meu cérebro que sofreu um pequeno surto psicótico?
- Eu falei Murilo. Por que, mãe? Tá acontecendo alguma coisa?
- Nada, não... Só minha visão que está um pouco turva. E meu coração, que talvez dê uma parada. No mais, tá tudo ótimo.
- Se você tiver algum problema em relação a isto, melhor falar logo...
- Problema? Problema nenhum. Só pensei que algum dia ia ter uma nora... Ou isso.
- Você vai ter uma nora. Só que uma nora... Meio macho.
- Ou um genro meio fêmea. Resumindo: uma nora quase macho, tendendo a um genro quase fêmea... E quando eu vou conhecer o meu. A minha... O Murilo?
- Pode chamar ele de Biscoito. É o apelido.
- Tá! Biscoito... Já gostei dele.. Alguém com esse apelido só pode ser uma pessoa bacana. Quando o Biscoito vem aqui?
- Por quê?
- Por nada. Só pra eu poder desacordar seu pai com antecedência.
- Você acha que o Papai não vai aceitar ?
- Claro que vai aceitar! Lógico que vai. Só não sei se ele vai sobreviver... Mas isso também é uma bobagem. Ele morre sabendo que você achou sua cara-metade. E olha que espetáculo: as duas metade com bigode.
- Mãe, que besteira... Hoje em dia... Praticamente todos os meus amigos são gays.
- Só espero que tenha sobrado algum que não seja... Pra poder apresentar pra tua irmã.
- A Bel já tá namorando.
- A Bel? Namorando?! Ela não me falou nada... Quem é?
- Uma tal de Veruska.
- Como?
- Veruska...
- Ah!, bom! Que susto! Pensei que você tivesse falado Veruska.
- Mãe!!!...
- Tá..., tá..., tudo bem... Se vocês são felizes. Só fico triste porque não vou ter um neto...
- Por que não? Eu e o Biscoito queremos dois filhos. Eu vou doar os espermatozóides. E a ex-namorada do Biscoito vai doar os óvulos.
- Ex-namorada? O Biscoito tem ex-namorada?
- Quando ele era hétero... A Veruska.
- Que Veruska?
- Namorada da Bel...
- "Peraí". A ex-namorada do teu atual namorado... E a atual namorada da tua irmã. Que é minha filha também... Que se chama Bel. É isso? Porque eu me perdi um pouco...
- É isso. Pois é... A Veruska doou os óvulos. E nós vamos alugar um útero.
- De quem?
- Da Bel.
- Mas... Logo da Bel?! Quer dizer então... Que a Bel vai gerar um filho teu e do Biscoito. Com o teu espermatozóide e com o óvulo da namorada dela, que é a Veruska.
- Isso.
- Essa criança, de uma certa forma, vai ser tua filha, filha do Biscoito, filha da Veruska e filha da Bel.
- Em termos...
- A criança vai ter duas mães: você e o Biscoito. E dois pais: a Veruska e a Bel.
- Por aí...
- Por outro lado, a Bel..., além de mãe, é tia... Ou tio... Porque é tua irmã.
- Exato. E ano que vem vamos ter um segundo filho. Aí o Biscoito é que entra com o espermatozóide. Que dessa vez vai ser gerado no ventre da Veruska... Com o óvulo da Bel. A gente só vai trocar.
- Só trocar, né? Agora o óvulo vai ser da Bel. E o ventre da Veruska.
- Exato!
- Agora eu entendi! Agora eu realmente entendi...
- Entendeu o quê?
- Entendi que é uma espécie de swing dos tempos modernos!
- Que swing, mãe?!!....
- É swing, sim! Uma troca de casais... Com os óvulos e os espermatozóides, uma hora no útero de uma, outra hora no útero de outra...
- Mas...
- Mas mais uns tomates, isso é um bacanal de última geração! E pior... Com incesto no meio...
- A Bel e a Veruska só vão ajudar na concepção do nosso filho, só isso...
- Sei!!! ... E quando elas quiserem ter filhos...
- Nós ajudamos.
- Quer saber? No final das contas não entendi mais nada. Não entendi quem vai ser mãe de quem, quem vai ser pai de quem, de quem vai ser o útero, o espermatozóide... A única coisa que eu entendi é que...
- Quê...?
- Fazer árvore genealógica daqui pra frente... Vai ser foda!!!
*

sexta-feira, 5 de março de 2010

Viva a Vida!


Hoje estava no ônibus, seguindo para o meu trabalho, ruminando um tédio tremendo. Tem dias que não tenho vontade de levantar da cama... ir trabalhar, fazer as mesmas coisas... todo dia, todo dia...
Aí, entra no ônibus um daqueles “doutores da alegria”, vendendo cartões em prol do trabalho deles e brincando com os passageiros. Inicialmente fiquei enfadado, pois não tava pra brincadeira. Então ele colocou os cartões nas mãos dos passageiros, e, o cartão que ele deixou comigo, continha uma mensagem que foi um verdadeiro “sacode” pra mim. Me tirou desse transe de monotonia e cansaço em que me encontrava.
Comprei o cartão (1 real) e resolvi digitar para transmitir aos leitores desse blog. Espero que seja útil para mais alguém.

São as virtudes da vida
que nos fazem presenciar novas surpresas
a cada dia
Viva a vida
Ame a vida
Aproveite a vida
Valorize a vida
VIDA... uma palavra tão fácil de escrever
Mas difícil de compreender
Muitos não dão valor
Vários outros a desperdiçam
Agora, há pessoas de bom senso
Vivem como se VIDA
Tivesse o significado de LIBERDADE
E por tudo isso se alegram
E desfrutam, plenamente, de cada momento dela
Por isso eu repito
Ou melhor, grito
Viva a vida, ame a vida!
Aproveite a vida!
Valorize a vida!
*