domingo, 16 de outubro de 2011

Escritos insólitos

Em uma arrumação feita em casa, daquelas de jogar fora tudo o que não presta mais e só está ocupando espaço, achei minha agenda de 2009. Antes de descartá-la, dei uma rápida folheada nela e achei na página do dia 08 de fevereiro um pequeno poema escrito com minha letra, só que eu não lembrava de forma alguma de ter escrito aquilo. Cheguei a procurar na Internet pra saber se eu não tinha copiado de algum lugar... e nada. Perguntei a minha esposa se ela conhecia, se eu já tinha falado pra ela... e nada.
Conclusão: não sei como, mas fui eu mesmo que escrevi estas estrofes a seguir. Sinistro, hein...?

Eu sou o amanhã da vida
A esperança convertida em milagre
O sol que invade as frestas da tua alma
O refrigério dos teus dias mais quentes
Sou aquele que diz
Sou aquele que faz
Sou aquele que é
Sou toda vida revertida em mais vida, em plenitude
O meu mundo está escrito em todos os livros
Na história de todos os tempos.
*

4 comentários:

Eva disse...

:)

Bruno Gomes disse...

De quem você estava falando nesse poema, Dibão?
Se bem que se você não se lembra de o ter escrevido, quanto mais sobre quem você escreveu rsrs

Mas eu gostei.

Abraços!

Ju Marques disse...

Lindona a poesia.... curti! :)

Mariane Magno disse...

Poow Dib caprichou no poema! Você deu uma de Chico agora. Tanto que nem lembrava que tinha escrito! HEHE

Muito lindo, ta de parabéns.. quero ver os próximos